03/04/2013

A POLÍTICA DA CIDADE VISTA DE OUTRA MANEIRA




Análise política cada qual faz de acordo com sua convicção, sua torcida e muitas das vezes de acordo como fora encomendada.
Nestes últimos dias temos lido muitas análises, sobre a Política aqui no DF, folheando um jornal aqui, outro ali. Terminamos indo para o computador, pois sabem como são nas redes sociais, tem de tudo. 
 E lendo vários blogs políticos, a  salada é maior ainda, é cientista político escrevendo para todos os lados,  cada qual emitindo sua opinião de acordo a sua convicção.
Quando fazemos  uma análise mais profunda, percebemos que o objetivo de uma minoria  é omitir, negar, distorcer fatos e verdades, esquecer um passado nebuloso político recente da nossa capital.
 Assim, eles começam omitir opiniões no sentido de confundir a opinião pública criar uma rede de intrigas e futricas, requentar velhas e falsas denúncias, torcer contra o desenvolvimento do próprio DF, e por ai vai. 
O interessante destas análises, é que em nenhum momento algum falam sobre o estado precário que Distrito Federal se encontrava, como o governador Agnelo Queiroz e seu vice Tadeu Filippelli receberam o governo. 
Eles não falam da crise ética e política que quase levou Brasília a uma Intervenção Federal.
Por mais de dez anos, metidos em todos os tipos de irregularidades, grilagem de terras publicas, enriquecimento ilícito, propino duto em todas as instancias do GDF, verdadeiras quadrilhas que dilapidaram os cofres públicos.
Foram  tantas roubalheiras,  que fizeram  fila de camburão rumo a Papuda e pela primeira vez na história do país, um governador foi preso na carceragem da polícia federal.
Isto sem  falar nas renúncias e cassações  de mandatos no  Senado, no Legislativo. A crise foi tão intensa que arrastou o Distrito Federal para um mar de lama, as instituições estavam envolvidas em corrupção ativa, o executivo, legislativo e até o Ministério Público.
 Nestas análises, esqueceu-se de falar sobre a crise moral: Brasília estava sem crédito nacional e internacional, sem dinheiro para fazer investimentos. Os servidores públicos todos desmotivados. Várias empresas estavam a caminho da privatização, dentre elas:  BRB, TERRACAP, CAESB, CEB, NOVACAP e tantas outras. O pior é que muitas pessoas votaram  e não perceberam a gravidade.
 Tinham uma  velha tática a ser aplicada, primeiro iriam  quebrar a empresa  de maneira que tal, que só restaria a  privatização.Pois bem, estes analistas, até agora não disseram nada da perseguição implacável que o governador Agnelo Queiroz, sofreu no 1º ano de governo. Tentaram de tudo, de tudo mesmo. Como não acharam nada de irregular no governo, partiram para questão pessoal.
Alguns setores da Mídia foram firmes na cobertura das velhas e falsas denúncias orquestradas por  Carlinhos Cachoeira e sua quadrilha, que queria infiltrar no GDF a qualquer custo, porém não tiveram êxito.
Desde então o Governador Agnelo Queiroz demonstra firmeza, determinação e muita coragem para enfrentar organizações perigosíssimas.  Coragem para enfrentar os grileiros, quadrilhas, cartéis em vários setores como o dos transportes coletivos, que sofreu intervenção na gestão.
 Os grupos contrários o ameaçaram de morte, devido sua coragem de enfrentar os corruptos e corruptores. Porém, os analistas esquecem-se, de mencionar e enumerar as mudanças ocorridas, nestes dois anos e três meses de governo.
 O GDF fez muito e foi pelo desenvolvimento de Brasília implantando projetos diversos em setores importantes. Uma das medidas mais plausíveis foi assumir a gestão do grupo Amaral e licitar novas empresas para assumirem o transporte público.
 Convocou mais de 3000 concursados em quase todas as secretarias, para que os novos servidores assumam seus postos de trabalho e preste serviço de qualidade a comunidade do DF. 
 Na saúde, as mudanças acontecem todos os dias, dentre elas: a quantidade de postos de saúde reformados, a construção de novos CAPS, o aumento no número de atendimento em todas as unidades de saúde do DF.
 Regularizando lotes, terras e entregando apartamentos e casas aos cadastrados no projeto Morar Bem, que veio organizar de uma vez por todas, a moradia no DF. Esqueceu-se de mencionar o número recorde de professores que foram convocados a tomarem posse na rede pública de ensino.
Os analistas de plantão esquecem de que política e governo são demonstrados em números satisfatórios para a população. Para isto, basta verificar a quantidade de  obras entregues no DF, a qualidade dos serviços prestados nas Unidades Na Hora, a tão sonhada Regularização de Feiras, que neste governo está se concretizando.
Esquecem-se também de contabilizar a mudança e investimento que o GDF tem feito, para tornar Brasília, na anfitriã da Copa das Confederações e nos sete jogos que serão realizados na capital. 
Brasília é a cidade luz, repleta de investimento, os olhos do mundo, torcedores e investidores voltaram para nossa capital, que deixou  de ser apenas a capital administrativa do país e passou a ser um bom lugar para se investir. 
O estádio Eco arena será palco de eventos internacionais e ficará como um grande monumento do povo de Brasília. Enfim, o governo conseguiu em dois anos e três meses de muito trabalho, colocar a  casa em ordem, pagar as contas atrasadas, regularizar as pendências jurídicas e administrativas, para poder oferecer uma nova Brasília, a capital que muito nos orgulha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MAIS NOTÍCIAS