16/09/2013

Ademir Camilo pode ser o dono do IMDC

Ademir Camilo é suspeito de desviar de verbas do Ministério do Trabalho. Parlamentar é suspeito de ser o verdadeiro dono do IMDC



Segundo integrantes do PSD, Camilo está de saída do partido e deve migrar para o novato PROS (Jair Amaral/EM/D.A Press)
Segundo integrantes do PSD, Camilo está de saída do partido e deve migrar para o novato PROS








































Suspeito de ser o verdadeiro dono do Instituto Mundial de Desenvolvimento e Cidadania (IMDC), pivô do esquema que desviou R$ 400 milhões em convênios com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o deputado federal Ademir Camilo (PSD-MG) começa a semana com sua situação política em xeque. Como seu nome só havia aparecido no dia em que a Operação Esopo foi deflagrada por causa da prisão de um assessor, não existiam ainda cobranças na Câmara contra ele. No entanto, após oCorreio/Estado de Minas revelar que o parlamentar pode estar envolvido ativamente no escândalo, congressistas e partidos admitem a gravidade do caso e prometem pedir explicações aos investigadores sobre o envolvimento de Camilo no golpe. Se confirmadas as suspeitas, ele deve ser alvo de processo por quebra de decoro.



O deputado é considerado o “pai” do Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem) na região, destinado à formação profissional de jovens de baixa renda, e os investigadores trabalham com a possibilidade de ele ser o real comandante da organização da sociedade civil de interesse público (Oscip). Segundo depoimentos, Ademir Camilo convencia os prefeitos aliados a demonstrarem interesse pelo programa e pedir verba federal. Em seguida, negociava diretamente com o então ministro do Trabalho, Carlos Lupi, a inclusão das cidades na lista dos beneficiados. 

O líder da minoria na Câmara, Nilson Leitão (PSDB-MT), afirma que a oposição já estuda tomar providências sobre o escândalo no Ministério do Trabalho, que já derrubou o número dois da pasta, Paulo Roberto Pinto, e assessores do ministro Manoel Dias. Leitão diz que irá pedir formalmente à Mesa Diretora da Casa que solicite à Polícia Federal e ao MPF informações sobre o envolvimento de Ademir Camilo no esquema. “Queremos conhecer a fundo esse assunto, pois não é a primeira vez que esse ministério tem problemas”, comenta. O líder acrescenta que, a depender da resposta dos órgãos, poderá pedir que seja aberto processo de quebra de decoro contra os parlamentares. “A Câmara tem obrigação de investigar qualquer denúncia que coloque em dúvida o comportamento de um homem público, principalmente quando envolve dinheiro público”, argumenta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MAIS NOTÍCIAS