25/11/2016

Liliane Roriz desfaz de colegas e diz ser maior que todos os deputados em áudio

O celular que se tornou a principal arma usada pela deputada distrital Liliane Roriz (PTB) para grampear seus pares na Câmara Legislativa também pegou figuras próximas de sua família, como o atual secretário-adjunto de Relações Legislativas do GDF, José Flávio de Oliveira
Um áudio extraído do aparelho da distrital revela uma conversa apimentada entre os dois, na qual deputados são chamados de“vagabundos”, integrantes do alto escalão do GDF são apelidados de “lesmas” e cargos em administrações são negociados, supostamente com a autorização do governador Rodrigo Rollemberg (PSB).
José Flávio
A conversa teria ocorrido na casa de Liliane em abril deste ano, pouco antes da nomeação de Roberto Charles Bezerra para a administração do Paranoá, no dia 22 do mesmo mês. A parlamentar defendia a indicação e não admitia outro nome para o cargo. Na conversa, José Flávio afirma que a resistência ao nome de Bezerra estava sendo alimentada pela influência de outro distrital, Robério Negreiros (PSDB).“Qual é a minha avaliação. O Robério que já atuou ali (administração do Paranoá) tinha um administrador que anda de Mercedes e fazia academia onde eu faço, é um bandido”, diz o secretário no áudio.
Em seguida, Liliane Roriz demonstra descontentamento e afirma que cargo em administrações regionais “é muito pouco”.  Ela afirma ser uma “deputada diferenciada e muito acima dos outros”.  “O Robério é um vagabundo. Aquele cara não vale nada, e o governador fica com medo de um cara daquele? E ainda quer fazer bloco comigo? “, reclamou Liliane, ao atacar o colega. Tanto a distrital quanto José Flávio, antigo aliado da família Roriz, concordam que existia um complô para evitar que o nome do administrador defendido por Liliane seja emplacado.
No áudio, José Flávio pondera que Liliane poderia escolher outro nome para ocupar o cargo da administração, mas a distrital não cede e defende o nome de Bezerra até o final. Liliane acaba perdendo a paciência e pede para que José Flávio avise ao governador Rollemberg que não deseja mais ter cargos nas administrações do Paranoá e do Recanto das Emas.Na conversa, Liliane Roriz reclama da demora em ser atendida pelo Buriti e cita que já havia procurado o secretário-chefe da Casa civil, Sérgio Sampaio. Em seguida, a parlamentar é interrompida por José Fávio, que diz: “Aquilo ali é uma lesma”. José Flávio, atualmente, é subordinado a Sampaio. Ele foi nomeado na Casa Civil em 29 de abril deste ano.
“Estou muito insatisfeita. O governador não anda pra frente. As coisas demoram muito para acontecer. Eu não sou do tamanho de Robério, de Cristiano Araújo, Julio (deputado Julio Cesar). Ficar me comparando com essa gente? Me comparar com bispo Renato? Eu não sou igual a eles. Não quero ser tratada igual a esse povo”, reclama a distrital.
No final da conversa, José Flávio pressiona Liliane a permanecer com o comando das administrações regionais. O secretário afirma que irá transmitir o recado ao governador de que a parlamentar não irá abrir mão da nomeação de Roberto Charles Bezerra. O indicado de Liliane acabou exonerado do cargo cinco meses após a conversa, em 12 de setembro.
O outro lado
Em nota, o GDF disse que cabe a José Flávio estreitar as relações com os deputados distritais. “Sendo assim, o diálogo entre o referido secretário com os parlamentares limita-se aos debates, esclarecimentos e conversas voltados aos assuntos de interesse da sociedade que chegam à Câmara Legislativa  para serem discutidos e votados. Desta forma, não se reconhece conversas de qualquer outra natureza.”
O governo ressalta ainda que “se preocupa em manter na estrutura administrativa pessoas competentes e comprometidas. Visto isso, repudia quaisquer fatos que buscam apenas atrapalhar a gestão baseada na seriedade e na transparência.”
Os deputados Julio Cesar (PRB), Bispo Renato (PR) e Cristiano Araújo (PSD) afirmaram que não comentarão o caso. Robério Negreiros (PSDB) informou que tem como princípio para a atuação parlamentar o interesse coletivo e a própria consciência. “Por isso, sei que incomodo não só o governo, mas também alguns colegas parlamentares. A planilha resgatada do celular da própria deputada Liliane Roriz desmente essa falácia (com relação à administração do Paranoá), pois deixa evidente que não fiz indicações para cargos no GDF naquele período”.
A reportagem ligou diversas vezes para José Flávio, mas ele não atendeu. Liliane foi procurada por meio do número do seu celular e via assessoria, mas não retornou as ligações até a última atualização desta reportagem.
Fonte: Metrópoles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MAIS NOTÍCIAS