08/12/2016

Marconi lidera definição do ajuste fiscal com Temer

O governador Marconi Perillo foi o principal interlocutor nas negociações entre os Estados e o governo federal para a assinatura de um acordo que estabeleça regras para que o Ministério da Fazenda libere a integralidade dos recursos provenientes das multas dos recursos repatriados e para a celebração do Pacto Nacional de Ajuste Fiscal entre as administrações estaduais e a União

Foto: Marcos Corrêa.
Após encontro com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, para estabelecer os pontos do acordo, Marconi foi ao presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto, para apresentar a proposta.

Definição de regras
Foto: Marcos Corrêa

Marconi se reuniu com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, para definir as regras do acordo que foi encaminhado pelos governadores à ministra Rosa Weber, presidente do STF, relatora de alguns dos mandados de segurança impetrados pelos estados visando o recebimento das multas cobradas pela União do dinheiro repatriado este ano. “Os governadores acordaram em retirar as ações. Com isso o Ministério da Fazenda vai creditar a parcela da multa da repatriação o mais rápido possível”, disse.

Os governadores entregaram na quarta-feira, dia 7, uma carta ao ministro da Fazenda propondo a realização de um ajuste nas contas dos estados em troca de aval do Tesouro Nacional para novos empréstimos junto a instituições financeiras. O ajuste, segundo adiantou o governador em entrevista coletiva, inclui a instituição de um teto para gastos públicos dos estados e uma alíquota previdenciária mínima de 14% para os servidores estaduais.

Os Estados se comprometeram, no documento, a adotar o teto para gastos públicos pelos próximos dez anos, que poderá ser prorrogado por igual período de tempo.

Diferente das regras que o governo está propondo para suas contas, as despesas correntes dos estados não serão limitadas pela inflação do ano anterior. A alternativa é que eles sejam limitados com base na receita corrente líquida, ou seja, podem crescer mais do que a inflação. “Será com base na receita corrente líquida ou o no IPCA. Acho que vários governadores vão apresentar versões diferentes”, declarou Marconi.

Foto: Marcos Corrêa

Os governadores, segundo Marconi, concordaram em ter uma alíquota mínima previdenciária de 14% para os servidores dos estados. “Na parte previdenciária, entra também uma proposta de alíquota de 14% para todo mundo”, declarou. O governador informou que o ministro da Fazenda irá apresentar sua proposta para novas operações de crédito a partir de janeiro.

“Nessa proposta, as operações de crédito só vão ter a chancela, o aval do governo federal, se as medidas estruturantes de ajuste forem aprovadas nas Assembleias legislativas. Não é só enviar para as Assembleias os projetos. Elas precisam ser efetivadas”, declarou.

Marconi anunciou que nesta quinta-feira, dia 8, irá reunir-se com a base aliada na Assembleia Legislativa para detalhar as medidas que proporá para ajustar as despesas do Estado. “Goiás vai cortar mais comissionados, mais despesas em relação a cargos e outras despesas correntes”, informou.

Foto: Marcos Corrêa

Com aval para empréstimo da União, os estados conseguem crédito mais facilmente, e com juros mais baratos, nas instituições financeiras. Hoje mesmo os governadores leram uma nota que foi assinada por todos se comprometendo com os ajustes e com as medidas que serão enviadas as Assembleias. “Vamos procurar fazer os entendimentos nos autos com as participações dos nossos procuradores e de alguns governadores e também com a participação da Advocacia Geral da União”, explicou.

O compromisso nosso é de todos retirarem as ações. Com isso o Ministério da Fazenda creditar a parcela da multa da repatriação o mais rápido possível.

Chapada dos Veadeiros
No final da tarde, ainda em Brasília, o governador Marconi Perillo, acompanhado do secretário da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Vilmar Rocha, reuniu-se com o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, com quem tratou do projeto de expansão do Parque da Chapada dos Veadeiros, localizado em municípios da região Nordeste de Goiás.

O governador declarou que o Estado tem buscado um entendimento que leve em consideração a necessidade da expansão, da titularização e da regularização fundiária e também os interesses dos proprietários que vivem, trabalham e produzem na região.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MAIS NOTÍCIAS