28/08/2017

GDF reabre os Parques da Asa Delta e da Península Sul

Devolução dos espaços aos brasilienses faz parte da comemoração dos 57 anos do Lago Sul e representa os esforços para democratizar o acesso à orla do Lago Paranoá

O governador Rodrigo Rollemberg acompanhado da esposa e colaboradora do governo, Márcia Rollemberg, e gestores da Administração Pública participaram do descerramento da placa que marcou a reabertura dos parques. Foto: Pedro Ventura.
Os Parques da Asa Delta e da Península Sul, ambos na QL 12 do Lago Sul, foram devolvidos à população neste domingo (27). Após processo de desobstrução da área pública, iniciado em agosto de 2015, os locais contam com seis quilômetros de pista compartilhada por pedestres e ciclistas.

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, acompanhado da esposa e colaboradora do governo, Márcia Rollemberg, além de integrantes da administração pública local, participou da cerimônia de reabertura dos espaços. A atividade faz parte das comemorações pelos 57 anos do Lago Sul.

Rollemberg destacou que tornar livre a orla do Lago Paranoá é uma forma de garantir cidadania aos brasilienses. “Democratizar o lago é democratizar Brasília. Estamos retomando a escala bucólica proposta por Lucio Costa quando ele planejou a cidade”, defendeu.

Na ocasião, foi assinada a ordem de serviço para instalação de três decks que ligarão os dois parques. A madeira que será utilizada nas estruturas é certificada por órgãos ambientais e aprovada para esse uso.

A Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos vai contratar a obra por meio da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap).

A democratização do acesso ao Lago Paranoá representa uma mudança no modelo de convivência na cidade, de acordo com o chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio. “O que vemos aqui parte de uma concepção grandiosa de ocupação da cidade por sua população.”
''Democratizar o lago é democratizar Brasília. Estamos retomando a escala bucólica proposta por Lucio Costa quando ele planejou a cidade''Rodrigo Rollemberg, governador de Brasília

O paisagismo do Parque da Asa Delta contou com o plantio de 1.375 mudas de espécies do Cerrado, como ipês, quaresmeiras, cagaiteiras, entre outras. O Anfiteatro Natural do Lago Sul, localizado no parque, recebeu poda de árvores, roçagem da vegetação, limpeza, pintura de meios-fios e cercamento.

Em toda a região, durante a desobstrução, foram retirados 2.373 metros de cercas e alambrados, 170 metros de grades, 15 metros de muros, 120 metros de balaústres de concreto e 40 metros de chapas metálicas.

Dos seis quilômetros de pista compartilhada, 2,5 km foram construídos no Asa Delta. Os outros 3,5 km já existiam no Parque da Península e foram alargados — passaram de dois para quatro metros de largura.

No evento, também foi anunciada a implementação de 612 luminárias de LED para que os parques possam ser usados no período noturno. A obra tem custo total de R$ 2,5 milhões.

Como parte da festa, Rollemberg participou ainda do corte do bolo de aniversário do Lago Sul e plantou uma muda na orla.
Kitesurf é regulamentado no DF

Antes da inauguração do Parque da Asa Delta, o governador participou de um café de manhã com praticantes de kitesurf. O grupo agradeceu pela sanção da Lei 5.938, de 2017, de iniciativa do deputado distrital Julio César (PRB). A legislação regulamenta a prática do esporte na orla do Lago Paranoá.

Com isso, os adeptos da modalidade passam a contar com mais infraestrutura para desenvolver o esporte. “O kitesurf usa o lago de forma sustentável, estamos regularizando e dando tranquilidade para que continuem com a prática neste local”, disse o governador.
Plano Orla Livre visa tornar o Lago Paranoá mais acessível

Com o objetivo de tornar o lago um ponto de encontro mais acessível, organizado e com diversas opções de lazer, o governo de Brasília lançou, em dezembro, o Plano Orla Livre.

O projeto, possível pela retirada de ocupações irregulares das margens do reservatório, representa um esforço conjunto de diversas pastas do governo, como destaca o secretário de Meio Ambiente, André Lima. “Temos o desafio de integrar as ações ambientais a todas as áreas do governo”, avaliou.

Além disso, existe o compromisso de ampliar a consciência ambiental da comunidade. “Não se trata só de plantar árvore, precisamos aumentar a agenda ambiental junto à população. Um dos passos para isso é dar condições de ela estar nos parques e ter qualidade de vida”, opinou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MAIS NOTÍCIAS