17/03/2018

Valmir Campelo dispara na intenção de votos rumo ao GDF

Valmir Campelo nasceu em Crateús (CE) no dia 22 de outubro de 1944, filho de João Amaro Bezerra e de Raimunda Campelo Bezerra. Casado com Marizalva Ximenes Maia Bezerra, com quem teve três filhos

Radicado em Brasília desde 1962, graduou-se em comunicação social com habilitação em jornalismo pela Universidade de Brasília (UnB), completando sua formação com o curso de extensão universitária em administração pública e desenvolvimento urbano na Alemanha Ocidental. 

Ingressou na vida pública como chefe de gabinete da Fundação do Serviço Social do Distrito Federal em 1971, passando, ainda nesse ano, a diretor administrativo da entidade. Exerceu este último cargo até 1973, mesmo ano em que tornou-se administrador regional de Brazlândia, cidade-satélite de Brasília, e presidente interino do conselho da Companhia de Desenvolvimento do Planalto Central (Codeplan). Ainda em 1973, foi nomeado chefe de gabinete da Secretaria do Governo do Distrito Federal, permanecendo nessa função até o ano seguinte. Entre os anos de 1974 e 1981, esteve à frente da administração regional do Gama, cidade-satélite de Brasília. 


Membro do conselho administrativo da Sociedade Habitacional de Interesse Social (SHIS) desde 1981 – em 1999, tal conselho era denominado Instituto de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Idhab) –, nesse mesmo ano tornou-se administrador regional de Taguatinga, cidade-satélite de Brasília, exercendo o cargo até 1985. 

No ano seguinte, integrou o conselho deliberativo da Fundação do Serviço Social do Distrito Federal e filiou-se ao Partido da Frente Liberal (PFL). Nessa legenda, foi eleito deputado federal constituinte em novembro de 1986, com o apoio do comércio e da classe média de Taguatinga. Assumiu a cadeira em fevereiro de 1987, quando começaram os trabalhos da Assembléia Nacional Constituinte (ANC), tornando-se primeiro vice-presidente da Subcomissão dos Estados, da Comissão da Organização do Estado, e suplente da Subcomissão dos Direitos dos Trabalhadores e Servidores Públicos, da Comissão da Ordem Social, e da Comissão de Sistematização. Nessa legislatura tornou-se segundo vice-presidente da executiva regional do PFL. 

No pleito de outubro de 1990, foi eleito senador pelo Distrito Federal na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), com 292 mil votos. Empossado em fevereiro de 1991, participou das comissões mistas (Câmara e Senado) de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização, de Constituição, Justiça e Cidadania, e de Assuntos Econômicos, Educação e Fiscalização e Controle. 

Entre os anos de 1993 e 1994, presidiu a Comissão de Educação e assumiu a liderança da bancada do PTB no Senado. 

Em 1995, passou a integrar as comissões de Assuntos Econômicos e Assuntos Sociais e de Fiscalização e Controle 

Em 13 de novembro de 1997, retirou-se do Senado para assumir o cargo de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). 

Valmir Campelo acertou filiação ao PPS em maio do ano passado com o desejo de disputar um cargo majoritário nas eleições de 2018. Ele é uma pessoa decente, sem nenhum envolvimento com corrupção e que tem um excelente currículo na cidade com diversos anos de dedicação a vida pública. 

Residente em Brasília há 55 anos, Valmir lidera disparado rumo ao GDF segundo pesquisa feita pelo portal www.acordacandango.com.br que foi finalizada no último dia 06 de fevereiro de 2018. (Mapa anexo). 

Em entrevista exclusiva Valmir Campelo disse: 

- Quero que o DF entenda que sou um homem íntegro, limpo e correto. Nunca estive envolvido em caos de corrupção. 

- Meu maior desejo é poder ajudar a capital federal com a experiência adquirida de quem vive há 55 anos e sempre desempenhou um trabalho muito sério. Minha atuação no TCU foi pautada na ética e na moralidade, como vinha fazendo em outras funções públicas por onde passei. Brasília precisa ser renovada com experiência e eu desejo muito contribuir com essa cidade que tanto amo. 

- Se escolhido for, pretendo reerguer o nome da Capital Federal, colocando-a novamente no ranking de cidades modelo para se viver. Vou atuar veementemente em defesa dos princípios e oferecer: Saúde, Educação e Segurança pública dignas à população. Trabalhar para fomentar a geração de empregos, melhorar as condições de trabalho do funcionalismo público e pela criação de uma cidade com mais mobilidade urbana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MAIS NOTÍCIAS