Aumenta procura de empresários do DF por energia solar

Aumenta procura de empresários do DF por energia solar

março 11, 2020 0 Por Rubens

Investimentos previstos para instalação de usinas fotovoltaicas já ultrapassam R$ 66 milhões, só neste ano

AGÊNCIA BRASÍLIA *

Foto: Acácio PInheiro / Agência Brasília

O Governo do Distrito Federal vai acelerar a implantação de projetos de energia solar. A informação foi dada nesta quarta-feira (11) selo secretário de Desenvolvimento Econômico, Ruy Coutinho, durante uma audiência pública sobre o tema na Câmara Distrital, da qual também participaram representantes da CEB, do BRB, da Secretaria de Agricultura (Seagri) e da Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD).

 “A SDE [Secretaria de Desenvolvimento Econômico] quer estimular a diversificação da matriz energética”, ressaltou Ruy Coutinho. Segundo o secretário, o número atual de investimentos previstos nas novas cartas-consultas para a implantação de projetos de captação de energia solar ultrapassa R$ 66 milhões, um aumento substancial em relação ao ano anterior – R$ 55 milhões.

No DF, é crescente o número de empresas que investem nessa área para reduzir seus custos de operação. Em dois anos, o Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) aprovou uma série de empréstimos que totalizam quase R$ 100 milhões.

Energia renovável

O secretário de Desenvolvimento Econômico destacou a relevância da procura por fontes alternativas e renováveis de energia – como a solar. “Essa discussão é um tema importante para o Brasil; é uma energia fundamental, e seu uso crescente poderá representar 50% das fontes de energia renováveis em todo o mundo”, disse.

Os projetos são analisados pelo Comitê de Financiamento à Atividade Produtiva (Cofap), coordenado pela SDE. Os empresários que quiserem investir em projetos de energia solar têm algumas vantagens. Além de taxa de juros subsidiadas – de 5 a 10% ao ano, os prazos para pagamento são de até 20 anos para incentivar a ampliação ou a criação de novos negócios.

O valor mínimo por contrato previsto em lei é de R$ 1 milhão. As operações são sujeitas a aprovação do Banco do Brasil ou do BRB. O colegiado do Cofap é formado 11 representantes da Seagri, da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Informação (Secti), da Fibra, Fecomércio e Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL).

Com informações da SDE